Três anos de lama

fachada de uma casa destruída pela lama com uma mesa de pebolim à porta

Há três anos atrás, o rompimento da barragem de Fundão, da Samarco, repercutiu mundialmente como o maior crime ambiental da história do Brasil. Na prática, significou a morte do Rio Doce, um dos mais importantes da região Sudeste.

Passado esse tempo, não houve punição dos responsáveis, e sequer foram reparados os enormes danos que sofreram os milhares de atingidos ao longo da bacia do Rio Doce. Espalham-se os casos de contaminação, desaparecimento de espécies, morte do solo e da água para a agricultura e a pesca.

Para fazer um balanço desse triste episódio, nós convidamos Camila Cecilina do Nascimento Martins, do Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM), e Letícia Oliveira, do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

Além disso, nosso editor Celso das Chaves lembra de suas histórias em Mariana.

Ficha técnica

Apresentação e Roteiro: Amélia Gomes e Marcelo Pereira. Edição: Amélia Gomes. Logo do Granma: Tiago de Macedo Rodrigues. Foto da Capa: Lorena Zschaber.

Dica da Ceci: Terra Fria (Niki Caro) Estados Unidos, 2005. Distribuidora: Warner Bros.

Dica da Letícia
Arpilleras: Atingidas Por Barragens Bordando a Resistência (Adriane Canan) Brasil, 2017

Lei.A Conhecimento e Ação Pelo Meio Ambiente http://leia.org.br/

Mande uma cartinha pra nós: contato@granma.com.br


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *